Jogador David Luiz investiga quadro de hepatite viral; saiba como prevenir a doença

25/08/2022 Notícias | Saúde Saúde Livre Vacinas
[read_meter]

O jogador de futebol David Luiz, que atua como zagueiro do Flamengo, apresentou na última quarta-feira (24/08) sintomas como cansaço e dor de cabeça. Ele precisou ser substituído durante o intervalo do jogo contra o São Paulo. De acordo com o departamento médico do seu clube, ele apresenta um quadro de hepatite viral.

Foto: Reprodução/Instagram

A causa da infecção é o vírus da hepatite, mais comumente dos tipos A, B ou C. A condição provoca inflamação no fígado, matando as células do órgão e deixando cicatrizes, chamadas de fibroses. A principal forma de prevenção é a vacina.

Conforme dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), as hepatites virais são responsáveis por cerca de 1,3 milhões de mortes por ano em todo o mundo. Em estágio avançado, a infecção pode resultar em falência do fígado, cirrose, e até mesmo câncer.

Como funciona a doença?

A hepatite A tem ocorrência maior, e é mais frequente em crianças. A B e a C, por outro lado, têm mais risco de se tornarem crônicas, pela dificuldade do organismo de eliminar o vírus. Há ainda o tipo D, que pode acompanhar o tipo B, e o E, mais encontrado na África e na Ásia.

A transmissão pode ocorrer por água e alimentos contaminados, no caso da A, e por fluidos corporais de pessoas infectadas, como sangue, no caso da B e C.

Os sintomas incluem insônia, cansaço, dor de cabeça, enjôo, tontura, vômito, febre pele e olhos amarelados, fezes claras e dor abdominal. Além disso, outras complicações decorrentes da fibrose podem aparecer mais tarde, como encefalopatia (confusão mental) e hemorragias.

O diagnóstico é feito a partir do teste de anticorpos, mas pode exigir também ultrassom, elastografia e biópsia do fígado. Não há um tratamento específico para a A, controlando-se os sintomas; para o tipo B, não há cura, mas antivirais ajudam a retardar o progresso da doença; já para o tipo C, são usados antivirais de ação direta (DAA), que apresentam taxas de cura de mais 95%.

Como prevenir uma hepatite viral?

Certamente, a melhor forma de evitar a contaminação é por meio da vacina. As clínicas privadas disponibilizam o imunizante contra a hepatite A. Qualquer pessoa a partir dos 12 meses de vida está apta para tomar.

A vacina contra hepatite B pode ser encontrada nas clínicas particulares e no Sistema Único de Saúde (SUS), e deve ser tomada em três doses: no nascimento, com um mês de vida e aos seis meses. Da mesma forma, caso ela não tenha sido tomada na idade sugerida, é possível recebê-la mais tarde. Ainda não há medicamento contra o tipo C.

Outras formas de evitar a doença são cuidar da higiene, bem como ter acesso a saneamento básico, como tratamento de água e esgoto, limpar bem alimentos antes de consumir, não compartilhar itens pessoais, e usar preservativo em relações sexuais.

Seu calendário vacinal está em dia? Procure uma unidade da Saúde Livre e previna-se contra essa e outras doenças.

Posts relacionados

Se a vacina BCG não deixou marca no braço é preciso reaplicar?

A pequena cicatriz é comum e já esperada pelos pais quando o bebê recebe um dos seus primeiros imunizantes. Mas e se a vacina […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 06 de junho de 2024

A importância da vacina de HPV para homens: estudo mostra queda nos casos de câncer

Enquanto a literatura médica tem documentado a redução significativa nos casos de câncer em mulheres imunizadas contra o papilomavirus humano, as pesquisas sobre os […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 29 de maio de 2024

É ‘só’ uma gripe? Conheça os verdadeiros riscos da influenza

A influenza atinge cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo todos os anos, com 5 milhões de casos graves e até 650 mil […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 23 de maio de 2024