Registro de vacina contra bronquiolite é aprovado pela Anvisa

08/01/2024 Notícias | Saúde Saúde Livre Vacinas
[read_meter]

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou no último mês o registro de uma vacina contra o principal vírus causador da bronquiolite. Ela é indicada para uso em adultos com 60 anos de idade ou mais.

Produzido pela empresa GlaxoSmith Kline (GSK), o imunizante Arexvy previne contra a doença do trato respiratório inferior (DTRI), causada pelo vírus sincicial respiratório (VSR). Além do Brasil, ele já recebeu sinal verde nos Estados Unidos, União Europeia e Japão.

Agora, a empresa deve solicitar o registro de preços junto à Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) para comercializar o produto país. A farmacêutica diz que estará à venda ainda neste ano.

Como funciona

Segundo a GSK, Arexvy é fabricada com a tecnologia de proteína recombinante, que cria uma substância semelhante à encontrada no vírus para que o corpo copie o “código” e gere anticorpos. Dessa forma, se houver infecção, o organismo estará preparado para agir rapidamente e não deixar que a doença se instale.

O VSR é o terceiro vírus que mais causa infecções respiratórias em idosos, com taxa de mortalidade que pode ser superior à da gripe. Em 2023, a letalidade da bronquiolite para pessoas acima de 60 anos foi de cerca de 19%.

A aplicação da vacina é intramuscular, assim como a vacina da gripe, e em dose única.

Vírus da bronquiolite

O VSR é responsável por até 75% das bronquiolites e 40% das pneumonias, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Ele pode afetar o sistema respiratório, como nariz, garganta, brônquios e pulmões.

O vírus é altamente contagioso, e sua transmissão pode se dar pelo ar, com tosses e espirros, por toque e por meio de objetos contaminados.

A inflamação nos brônquios, chamada bronquiolite, é mais comum em crianças menores de dois anos e idosos. Os principais sintomas são febre, dor de cabeça, dor de garganta, coriza, congestão nasal e tosse. Além disso, é possível apresentar taquicardia, dificuldade para respirar e tons azulados ou arroxeados nos lábios e unhas.

Essa doença começa como um resfriado, mas tem sua piora quando atinge os pulmões, dificultando a passagem do oxigênio. Em caso de suspeita, deve-se procurar um profissional da saúde.

Confira aqui se suas vacinas estão em dia para se prevenir.

Posts relacionados

Se a vacina BCG não deixou marca no braço é preciso reaplicar?

A pequena cicatriz é comum e já esperada pelos pais quando o bebê recebe um dos seus primeiros imunizantes. Mas e se a vacina […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 06 de junho de 2024

A importância da vacina de HPV para homens: estudo mostra queda nos casos de câncer

Enquanto a literatura médica tem documentado a redução significativa nos casos de câncer em mulheres imunizadas contra o papilomavirus humano, as pesquisas sobre os […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 29 de maio de 2024

É ‘só’ uma gripe? Conheça os verdadeiros riscos da influenza

A influenza atinge cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo todos os anos, com 5 milhões de casos graves e até 650 mil […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 23 de maio de 2024