Efluelda: conheça a vacina da gripe de alta concentração para idosos

20/03/2024 Saúde | Vacinas Saúde Livre Vacinas
[read_meter]

A vacina é a melhor forma de prevenir a gripe, doença que pode ser uma grave ameaça à saúde dos idosos. Além da dose quadrivalente oferecida nas clínicas particulares, há um imunizante ainda mais eficaz disponível no Brasil desde 2023: é a Efluelda, da farmacêutica francesa Sanofi.

A Efluelda é a primeira e, até o momento, única vacina de alta concentração contra a influenza no país. Ela é voltada para pessoas com 60 anos ou mais, garantindo maior proteção a um público mais vulnerável. Apesar de ser ainda novidade em solo brasileiro, ela já é fabricada e utilizada no mundo há anos. Nos Estados Unidos, por exemplo, a versão trivalente é aplicada desde 2009.

Efluelda

De acordo com estudos clínicos, esse imunizante tem uma eficácia relativa de 24,2% a mais do que a dose padrão. Enquanto a vacina tradicional possui 15 microgramas de antígeno de cada cepa, a Efluelda traz 60 microgramas – ou seja, quatro vezes mais. Em 2024, a dose inclui duas cepas inativadas do tipo A (H1N1 e H3N2) e duas do tipo B (linhagens Victoria e Yamagata).

Uma pesquisa publicada no periódico Vaccine analisou cerca de 1.300 estudos científicos envolvendo o uso de alta concentração de antígenos nessa população. Foram mais de 22 milhões de pessoas acompanhadas após a vacinação. A metanálise concluiu que houve uma queda de 27,3% no número de hospitalização por pneumonia, 17,9% nas internações por eventos cardiorrespiratórios. Observou-se ainda 39,9% de diminuição na mortalidade causada por gripe e pneumonia, e 27,7% por causas cardiorrespiratórias.

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda a opção pela vacina de alta concentração para idosos “porque a proteção para Influenza e suas complicações oferecida pelas vacinas de dose padrão para a faixa etária é inferior à verificada em jovens”.

Além disso, segundo a SBIm, “as formulações com maior quantidade de antígenos permitiram aumentar
a resposta do sistema imunológico dos idosos à vacina, particularmente contra o Influenza A (H3N2), mais comum e grave nesta parcela da população”.

Riscos da influenza

Mesmo atingindo toda a população, o vírus da influenza pode causar complicações mais graves nas pessoas acima de 60 anos. A partir dessa idade há um declínio no sistema imunológico, reduzindo as defesas do organismo.

Atualmente, as infecções respiratórias são a quarta maior causa de mortalidade de idosos no país. Além disso, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 70% dos idosos têm alguma doença crônica e maior risco de agravamento de infecções. Comorbidades como pressão alta e diabetes aumentam a possibilidade de desfecho negativo.

A gripe está ligada ainda a um aumento significativo em problemas cardiovasculares. Uma pesquisa publicada na The New England Journal of Medicine, por exemplo, mostrou que há seis vezes mais chances de ter um infarto agudo do miocárdio na primeira semana de sintomas gripais.

A Efluelda está disponível na Saúde Livre. Encontre a unidade mais próxima.

Posts relacionados

Vacinas para viagem: saiba quais destinos exigem e quais documentos levar

Assim como decidir o destino, adquirir as passagens e coordenar as datas, o cuidado com a saúde deve ser planejado com antecedência para evitar surpresas e garantir um passeio tranquilo. As vacinas para viagem, por exemplo, precisam ser tomadas pelo menos 15 dias antes para que tenham tempo de desenvolver a proteção.

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 19 de junho de 2024

Se a vacina BCG não deixou marca no braço é preciso reaplicar?

A pequena cicatriz é comum e já esperada pelos pais quando o bebê recebe um dos seus primeiros imunizantes. Mas e se a vacina […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 06 de junho de 2024

A importância da vacina de HPV para homens: estudo mostra queda nos casos de câncer

Enquanto a literatura médica tem documentado a redução significativa nos casos de câncer em mulheres imunizadas contra o papilomavirus humano, as pesquisas sobre os […]

[read_meter]
Saúde Livre Vacinas, 29 de maio de 2024